Eleições 2014Política

PMDB rachado mantém apoio a Dilma

PMDB aprovou apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff, numa convenção pontuada por críticas ao PT e que expôs divisão do partido.

Eleições 2014

PMDB rachado mantém apoio a Dilma
PMDB: convenção foi pontuada por críticas ao PT e expôs um partido dividido entre continuar com a coalizão governista e romper com o Palácio do Planalto. Foto: André Coelho / O Globo

Fonte: Folha de S.Paulo 

Apesar de divisão interna, PMDB continua com Dilma

Convenção mantém aliança com 59% dos votos, menos do que os 85% de 2010

Insatisfação com o PT e o governo cria riscos para a presidente em Estados como Rio, Bahia, Ceará e Paraíba

O PMDB aprovou nesta terça-feira (10) o apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff, numa convenção pontuada por críticas ao PT que expôs um partido dividido entre continuar com a coalizão governista e romper com o Palácio do Planalto.

A participação na chapa de Dilma foi aprovada por 59% dos delegados que votaram na convenção. Foram 398 votos a favor de Dilma e 275 contra. Em 2010, quando Dilma concorreu pela primeira vez à Presidência, a aliança foi aprovada com 85% dos votos.

O apoio do PMDB garantirá a Dilma cerca de 2min20s a mais em cada bloco de 25 minutos do horário de propaganda eleitoral no rádio e na televisão, que irá ao ar a partir de agosto. Somados o PT e os outros partidos que apoiam a presidente, Dilma deverá ter 12 minutos em cada bloco.

Partido do vice-presidente Michel Temer, que continuará na chapa de Dilma, o PMDB controla cinco ministérios. A sigla tem demonstrado crescente insatisfação com o PT e neste ano liderou uma rebelião contra o governo na Câmara dos Deputados, barrando projetos de seu interesse.

Ao agradecer o apoio do PMDB em discurso no fim da convenção, Dilma fez questão de elogiar Temer, dizendo que “sabe aproximar pessoas e desarmar espíritos”.

Líderes do partido usaram seus discursos na convenção para se queixar da resistência do PT a apoiar candidatos do PMDB a governos estaduais, sobretudo no Rio de Janeiro, onde os dois partidos têm candidaturas próprias.

Houve vaias quando o nome do presidente do PT, Rui Falcão, foi anunciado no microfone pelo apresentador da convenção, que foi realizada num auditório do Senado.

A ala dilmista do PMDB identificou as delegações de quatro Estados –Rio, Bahia, Ceará e Paraíba– como origem de boa parte dos votos contrários à aliança com o PT, embora líderes de alguns desses Estados tenham afirmado que apoiariam a coligação.

No Rio, o PMDB lançou o governador Luiz Fernando Pezão, afilhado político do ex-governador Sérgio Cabral, mas o PT apoia a candidatura do senador Lindberg Farias.

O prefeito da capital fluminense, Eduardo Paes, afirmou que o partido devolverá “na mesma moeda” eventuais acusações que Pezão sofrer na campanha e disse que o PT não tem sido “patriótico” em vários Estados.

No Rio, a maioria do PMDB deve apoiar a candidatura do senador Aécio Neves (PSDB-MG) à Presidência.

A ala contrária a Dilma chegou a distribuir aos participantes da convenção panfletos em que acusa o governo de ineficiência e corrupção.

O vice Michel Temer minimizou a dissidência e afirmou que a manutenção da aliança visa “abrir as portas” para que no futuro “o PMDB ocupe todos os espaços políticos, para o bem dos brasileiros”.

O partido promete apresentar propostas a Dilma, entre elas o aumento das verbas para a saúde. Algumas colidem com bandeiras do PT. O PMDB é contra a regulação da mídia e a convocação de um plebiscito sobre reforma política, como Dilma propôs.

A presidente também obteve ontem o apoio do PDT, em convenção comandada pelo ex-ministro Carlos Lupi, que preside o partido e foi defenestrado em 2011 após acusações de irregularidades.

Comente e publique no Facebook

Comentário(s)

5 Comments

  1. […] PMDB rachado mantém apoio a Dilma […]

  2. […] PMDB rachado mantém apoio a Dilma […]

  3. […] PMDB rachado mantém apoio a Dilma […]

  4. […] PMDB rachado mantém apoio a Dilma […]

  5. […] PMDB rachado mantém apoio a Dilma […]

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Previous post

PSDB critica Dilma por propaganda do regime militar

Next post

Aécio: Dilma sofre derrota com base aliada