Política

Os jogos vão começar: o da Copa e o das eleições, diz artigo da cientista política Sandra Starling

Eleição promete tanto que até Marta foi escalada

Fonte: Sandra Starling -Advogada e cientista política – sandrastarling@hotmail.com

Os jogos vão começar: o da Copa e o das eleições

Só agora vai começar o jogo sucessório no Brasil. Já houve o programa de lançamento da candidata do PT – com seus exageros políticos e violações da lei. José Serra se mandou para o Ceará, em busca dos votos que Padim Cícero sempre arranja pros que pedem. E Marina, finalmente, lançou seu vice, um empresário verde, que vai com ela, de agora em diante, percorrer os caminhos do país. “Jogo feito, banca forte”, diria o cantor de samba-enredo.

Mas ainda faltam incógnitas muito importantes: afinal, ainda não se sabe ao certo para aonde vai Aécio Neves (por que a ênfase da Vox Populi sobre os “votos transferidos” para Dilma, logo em Minas Gerais?). E em Minas, ainda, nem mesmo se conhece quais serão os candidatos a governador, com esse mistério todo em torno da eventual aliança entre PT e PMDB.

Fiquei anunciando aos amigos, depois das prévias, que eu gostaria muito de ver qual seria o grau da picada da mosca azul em Pimentel. E parece que não deu outra. Com razão. Qual a alma de Deus que, se vendo com chances de empalmar o governo de Minas Gerais, sai de cena para ajudar uma amiga?! Até porque a militância petista (o que resta da militância petista) não vai se abalar a balançar bandeira de graça, como sempre fez nas esquinas da vida, por Hélio Costa. É esperar pra ver. E esperar mesmo para ver a hora em que se firmar a dupla Dilma/Michel Temer: mais insossa impossível. Quando os dois fizerem comícios juntos, se é que vão fazer comícios juntos, vai ser um sono só ouvi-los falar.

Conheço o Temer de velhos tempos, com seu jeitão de monsenhor antigo, esfregando as mãos solenemente, enquanto procura a palavra mais complicada para explicar o que nada tem de complicado. E a candidata, bom, basta ver as caras de quem a acompanha quando desanda a mostrar números e porcentagens. Só falta pedir um telão e meter um Power Point na cara do povão. E o sorriso novo do Serra, o Serra sem olheiras, embora ainda mal-humorado às 8 horas da manhã, como viu Mirian Leitão. Esta eleição promete!

Promete tanto que a Marta Suplicy foi escalada para se contrapor às baixarias contra a Dilma militante de esquerda (quando ela era militante de esquerda) que pululam na internet: Gabeira, queridinho dos partidos de direita, segundo as más línguas, teria, sim, sido sequestrador e quase assassino do diplomata norte-americano. Quem diria que a Marta, outra vez, seria a protagonista de explícitos preconceitos na guerra suja que se avizinha. Mas guerra é guerra e ninguém se furta a um exagero aqui, uma mentirinha ali, tudo em prol do sucesso eleitoral de seu escolhido.

Ainda bem que, de permeio a tudo isso, a gente vai poder descansar e assistir à Copa do Mundo, sem Pato, sem Ganso e sem Neymar.

E enquanto a Copa não vem, vou relembrar “O Altar das Montanhas de Minas”, de Jaime Prado Gouveia, que vi nascer (o livro!), e que em boa hora vem republicado pela Record. Talentoso e querido Jaime Prado Gouveia!

Link: http://www.otempo.com.br/otempo/colunas/?IdEdicao=1665&IdColunaEdicao=11704

Comente e publique no Facebook

Comentário(s)

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Previous post

Merval Pereira diz que PSDB teve bom senso a não entrar no jogo do PT de desrespeitar a legislação eleitoral

Next post

Antonio Anastasia diz que greve dos professores em Minas tem cunho político, já que categoria não apreciou propostas do governo