Política

Dançando conforme a música: “Como pré-candidata, Dilma Rousseff reformula discurso sobre sua fé”, revela Folha

Como pré-candidata, Dilma Rousseff reformula discurso sobre sua fé

Fonte: Folha de São Paulo

Em campanha pelo Planalto, a pré-candidata do PT, Dilma Rousseff, reformulou radicalmente o discurso sobre sua fé em um intervalo de três meses.

Desde que disse em fevereiro deste ano que não tinha religião específica, a petista concedeu várias entrevistas nas quais aborda o tema e, na mais recente, publicada pela revista “IstoÉ” desta semana, se disse “antes de tudo, cristã. Num segundo momento, católica”.

A transformação é ainda maior se levado em conta o período que precede sua pré-candidatura. Na sabatina feita pela Folha, em 2007, a então ministra da Casa Civil foi questionada sobre acreditar em Deus e ser religiosa. “Eu me equilibro nesta questão. Será que há? Será que não há?”, ponderou.

Neste ano, as perguntas foram refeitas, em entrevistas exclusivas. “Uma religião específica, a senhora não tem?”, questionou a revista “Época” em fevereiro. “Não, mas respeito”.

Quando questionada sobre seu credo, declarou acreditar numa força superior: “Não sei se é o seu Deus, mas acredito numa força maior que a gente”, disse à “Época”.

A petista costuma contar que estudou em escola católica, foi batizada e crismada. Há um ano, porém, em entrevista à “Marie Claire”, a então ministra disse que não praticava a religião. “Balançou o avião, a gente faz uma rezinha”, brincou.

Em pré-campanha, Dilma se aproximou da Igreja Católica usando como porta o reduto “mariano”, mais conservador, incrustado na Basílica Nacional de Aparecida, que atrai 10 milhões de fiéis por ano.

Para eles, a ex-ministra deu um presente: incluiu a cidade na rota do Trem-Bala. Aparecida, que havia sido eliminada do traçado inicial, apareceu como sede de uma estação no edital.

A segunda investida se deu pela Renovação Carismática. Além de ir ao santuário do padre Marcelo Rossi, em São Paulo, Dilma passou a frequentar a Canção Nova, em Cachoeira Paulista (SP).

A “conversão” teve início em dezembro de 2008, quando ela participou do evento “Hosana Brasil”, que atrai 40 mil pessoas ao acampamento montado às margens da via Dutra.

A assessoria de Dilma disse que ela estava viajando e que não seria possível localizá-la para comentar o assunto.

Link da matéria: http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u734338.shtml

Comente e publique no Facebook

Comentário(s)

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Previous post

Controle da Imprensa: Prefeitura petista de São Bernardo do Campo consegue liminar para proibir veiculação de matéria do Diário do Grande ABC

Next post

Antonio Anastasia leva Energia do Bem, programa iniciado no Governo Aécio Neves, até 2.574 novas residências rurais de 18 cidades de Bacia do Suaçu