Segurança Pública

Governo Anastasia promove treinamento em modelo japonês de policiamento focado em ações preventivas de base comunitária

Defesa Social promove cursos de policiamento comunitário

Fonte: Agência Minas

Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) está promovendo cursos de Gestor de Policiamento Comunitário e de Operador de Policiamento Comunitário, visando estreitar os laços entre a polícia e a comunidade. Realizados sob a coordenação da Subsecretaria de Promoção da Qualidade e Integração do Sistema de Defesa Social, os treinamentos são baseados no sistema Koban, modelo japonês de policiamento, sendo voltados para a capacitação de policiais militares, com foco no fortalecimento das atividades preventivas e no aprimoramento do serviço de base comunitária em Minas Gerais.

As aulas tiveram início nessa segunda (27) e se estendem até a sexta-feira (1º). Durante a cerimônia de abertura dos cursos, o comandante da Academia de Polícia Militar, coronel Eduardo de Oliveira Chiari Campolina, explicou que 64 policiais militares de todo o Estado serão formados nessa etapa da capacitação. “Investir em bases comunitárias móveis não se resume em fornecer infraestrutura física, mas também em garantir a presença de homens capacitados para desempenhar bem o serviço na comunidade”, disse.

Participação

O curso de Gestor de Policiamento Comunitário é destinado a sargentos e o curso de Operador a cabos e soldados. Segundo a subsecretária de Promoção da Qualidade e Integração do Sistema de Defesa Social, Geórgia Ribeiro Rocha, a iniciativa reforça a importância de se estreitar os laços entre polícia e comunidade. “Precisamos desenvolver no Brasil a ideia de participação da sociedade nas ações de segurança pública. Cursos de policiamento comunitário têm papel fundamental para instituir uma cultura de solução pacífica de conflitos”, justifica. 

A subsecretária pontuou ainda que considera importante conjugar ações repressivas e preventivas para tornar possível a atuação nas causas do crime e da violência. “Estamos fortalecendo nossa estratégia de segurança pública através da capacitação. Fixar policiais em bases comunitárias é interessante, pois permite que eles se tornem referências para a sociedade”, completa. 

A solenidade de abertura dos cursos contou ainda com a presença do diretor de Apoio Operacional da Polícia Militar, coronel Marco Antônio Badaró Bianchini, do presidente da Associação de Cooperação e Ciência e Tecnologia do Brasil / Japão, Ênio de Oliveira, e do representante da Agência de Cooperação Internacional do Japão, Satoshi Yashida.

Os treinamentos de policiamento comunitário estão sendo realizados pela Gerência da Qualidade da Atuação do Sistema de Defesa Social, contemplando sargentos, cabos e soldados que já atuam ou irão atuar em bases comunitárias como gestores ou como operadores de policiamento comunitário.

Carga horária

Com carga horária de 40 horas/aula, os cursos têm 32 policiais em cada turma e vão proporcionar aos profissionais de segurança pública conhecimentos para o exercício de práticas voltadas à defesa dos direitos humanos e da cidadania. A meta é fornecer aos alunos ferramentas para a resolução de conflitos a partir da interação entre polícia e comunidade. As aulas acontecem na Academia de Polícia Militar, no bairro Prado, em Belo Horizonte. Além das aulas teóricas, estão programadas aulas práticas em bases comunitárias, no decorrer da semana. 

Os cursos são fruto de um acordo de cooperação técnica firmado entre o governo federal, por intermédio da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), e o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds). A iniciativa conta ainda com a parceria da Polícia Militar de São Paulo e da Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica), utilizando o sistema Koban, praticado há 130 anos pela Polícia Nacional do Japão. 

Em Minas Gerias, o sistema de base comunitária foi desenvolvido para reduzir crimes de menor potencial ofensivo e coibir a desordem pública, a fim de melhorar a sensação de segurança nas áreas urbanas que têm elevada densidade populacional. Visando atender com rapidez e qualidade as necessidades do cidadão, o sistema desenvolve ações integradas com a comunidade para a resolução de conflitos locais. Em 2011, a Polícia Militar mineira instruiu a criação das Bases Comunitárias, que são uma evolução dos serviços desconcentrados da sede dos batalhões da PMMG.

Comente e publique no Facebook

Comentário(s)

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Previous post

Governo Anastasia discute política de abrigamento para mulheres vítimas de violência

Next post

Belo Horizonte registra o menor índice de desemprego em 15 anos