Aécio CunhaAécio NevesAécio Neves: choque de gestãoPolítica Pública

Ações de Aécio Neves transformam Copasa em referencial de excelência no setor de saneamento no Brasil

Quando existem objetivos claros, metas definidas, controle das ações e pessoas qualificadas, é possível obter resultado eficientes. Foi perseguindo diretrizes traçadas pelo Governo Aécio Neves que a Copasa se transformou em referencial de excelência no setor de saneamento no Brasil.

Nos nove primeiros meses de 2009 a Copasa investiu R$ 706,7 milhões, sendo que R$ 346,7 milhões foram aplicados nos sistemas de abastecimento de água, R$ 345,6 milhões na coleta e tratamento de esgotos. O restante, R$ 14,4 milhões, foi destinado a programas de melhoria operacional, desenvolvimento empresarial, bens de uso geral e outros.

Foram assinados três novos contratos de concessão para prestação do serviço de esgotamento sanitário, renovação das concessões com nove sedes municipais, sendo oito com serviços de abastecimento de água e uma com serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário. A Copasa hoje atua em 611 localidades com os serviços de abastecimento de água, atendendo uma população de 12.400 habitantes. Com relação aos sistemas de esgotamento sanitário, a expansão é maior, resultado do esforço empreendido para aumentar a cobertura nas localidades já operadas e crescer o número de concessões. A população atendida pelos serviços da empresa atingiu 7,5 milhões de habitantes, com o acréscimo previsto de aproximadamente 11%. O número de localidades aumentou 7,9% até outubro, atingindo 178 locais.

Obras

A Copasa investiu ainda cerca de R$ 81 milhões nas obras da Adutora de Integração, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), com previsão para conclusão até fevereiro. Com aproximadamente 50 quilômetros de redes adutoras, o empreendimento está com mais de 80% das obras realizadas. Além de ser responsável pelo abastecimento da Cidade Administrativa, a Adutora de Integração aumentará a oferta de água para o Vetor Norte da RMBH, interligando o sistema de abastecimento de água do aeroporto de Confins e das cidades de Lagoa Santa, São José da Lapa e Vespasiano ao sistema integrado da bacia do Rio Paraopeba, beneficiando aproximadamente 130 mil pessoas.

As obras da Linha Azul, empreendimento de R$ 160 milhões, interligará os sistemas produtores Rio das Velhas e do Paraopeba com o objetivo de garantir o abastecimento de água à população da RMBH. Já estão com um avanço de 54%, e sua conclusão está prevista para o final deste ano.

Dentro da Meta 2010, para a revitalização do Rio das Velhas, o Governo de Minas autorizou a Copasa a investir R$ 259 milhões em ações para a despoluição da bacia do Rio das Velhas. Desse montante, R$ 239 milhões serão aplicados especialmente para o tratamento de esgoto. O projeto de Ampliação do Sistema Rio Manso também será trabalhado para melhorar a eficiência de serviços prestados pela companhia e reduzir custos operacionais. As obras de expansão e modernização, orçadas em R$ 570 milhões, começam em março. Na primeira etapa, a capacidade de tratamento de água passará de quatro mil litros por segundo para cinco mil.

O sistema Rio das Velhas, localizado em Nova Lima, também está recebendo R$ 230 milhões para  revitalização e aquisição de equipamentos até 2011. Atualmente, o sistema abastece cerca de 2,2 milhões de habitantes na RMBH, cerca de 62% da população de Belo Horizonte e 97% da cidade de Sabará.

As obras de implantação do tratamento secundário da ETE Onça, no valor de R$ 74 milhões, contribuirão para a revitalização do Rio das Velhas no trecho que passa pela RMBH e faz parte do Projeto Estruturador da Meta 2010 do Governo do Estado.

Subsidiárias

Outras ações relevantes estão sendo realizadas pelas três subsidiárias; na Copasa Serviços de Saneamento Integrado do Norte e Nordeste de Minas Gerais S.A (Copanor), neste ano, 71 concessões operadas pela Copasa estão em processo de transferência para a subsidiária, para a prestação de serviços nos municípios com população entre 200 e 5.000 mil habitantes. Somente em 2009, 40 localidades foram transferidas para as subsidiárias e as demais serão efetivadas em 2010. O investimento total previsto é da ordem de R$ 545 milhões e serão totalmente cobertos pelo Tesouro do Estado. Já foram assinados 100% dos contratos para a execução de obras em 92 municípios da Região Nordeste e as obras de implantação de sistema de abastecimento de água e de sistema de esgotamento sanitário em 54 localidades já foram iniciadas. Atualmente a Copanor está operando os sistemas de abastecimento de água e de esgotamento sanitário de 57 localidades, atendendo a uma população de 94 mil habitantes.

Já a Copasa Serviços de Irrigação S/A iniciou suas atividades de forma efetiva, em março de 2008. Os investimentos previstos já estão sendo realizados, também com recursos do Tesouro do Estado, no montante de R$ 7,5 milhões. Esses recursos estão sendo destinados à adequação da infraestrutura operacional, bem como aquisição de máquinas, aparelhos e equipamentos necessários à operação do sistema.

A Copasa Águas Minerais de Minas S/A iniciou, em setembro de 2008, a comercialização da tradicional água mineral Caxambu nos principais estabelecimentos de São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal e Minas Gerais. Os investimentos na modernização das plantas de envasamento continuam e, em breve, a empresa dará início à comercialização também das águas de Cambuquira, Lambari e Araxá.

Os resultados do Projeto Estruturador “Saneamento Básico: Mais Saúde para Todos”.

Para que este importante Projeto Estratégico do Governo de Minas possa ser desenvolvido no prazo estabelecido e com os resultados esperados, os investimentos realizados pela empresa até outubro de 2009, totalizaram R$ 811,8 milhões, aplicados na implantação, ampliação e melhorias dos sistemas de abastecimento de água, R$ 407,8 milhões, em esgotamento sanitário, inclusive  em tratamento de esgotos, R$ 404 milhões. Até outubro, 92 mil novas residências passaram a contar com os serviços de abastecimento de água e 163 mil com esgotamento sanitário.

Liderança

A Copasa em 2009 foi eleita a “Empresa de Valor”, premiação concedida à melhor empresa brasileira entre as 1.000 melhores do ano, pelo Jornal Valor Econômico, especializado em economia, negócios e finanças. Além desta premiação, pelo segundo ano consecutivo, a Copasa foi a melhor empresa do setor de água e saneamento do Brasil.

No Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento (PNQS), concedido pelo Comitê Nacional da Qualidade, da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes), três diretorias sagraram-se vencedoras no PNQS no Nível II – Rumo à Excelência, sendo que as Diretorias de Operação Norte (DNT) e Sudoeste (DSO) conquistaram o troféu Quíron Ouro e a Diretoria de Operação Metropolitana (DMT), o Troféu Quíron Prata.

A Copasa também foi campeã das empresas de saneamento do Brasil e recebeu o prêmio na categoria Melhores e Maiores – Empresa Excelência de Minas Gerais 2008/2009, concedido pela revista Mercado Comum, no XI Prêmio Minas – Desempenho Empresarial.  O Ministério das Cidades, através do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (Snis), apurou que a Copasa é a empresa estadual que mais economiza água no país, resultado alcançado graças ao Programa de Redução de Perdas de Água e economia de energia elétrica desenvolvido pela empresa.

O Laboratório Central da Copasa recebeu, mais uma vez, o reconhecimento da certificadora inglesa British Standards Institution (BSI). Por meio de auditoria externa, a BSI ratificou o Certificado ISO 9001:2000 que a unidade vem mantendo desde março de 2000. O Laboratório de Hidrometria também recebeu a creditação do Inmetro para funcionar como Posto de Ensaio Autorizado (PEA).

Comente e publique no Facebook

Comentário(s)

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Previous post

Aécio Neves lamenta morte de Zilda Arns: "uma das nossas mais importantes referências no campo social", disse o governador

Next post

Blog do Reinaldo Azevedo: Presidência da Répública publica decreto da Ancine para dar força ao filme do Lula, mesmo assim filme não decola